Skip to content

Aposto X Oração Subordinada Adjetiva Explicativa

by em 23/06/2010

Você pensou que não tinha diferença!? A diferença entre eles é sutil e passa despercebida por muitos de nós concurseiros.

Aposto Explicativo

O aposto explicativo identifica ou explica o termo anterior. É separado do termo que identifica por vírgulas, dois pontos, parênteses ou travessões.

Ex. Terra Vermelha, romance de Domingos Pellegrini, conta a história da colonização de Londrina.

Andrade, um amigo meu, deu-me a notícia.

A moça, meiga e gentil, encantou a todos.

Nos versos de Vinicius de Morais: “Quem sabe a morte, angústia de quem vive // Quem sabe a solidão, fim de quem ama”.

Oração Subordinada Adjetiva Explicativa

É a oração que funciona como aposto explicativo. É sempre iniciada por um pronome relativo* e, da mesma maneira que o aposto explicativo, é separada por vírgulas, dois pontos, parênteses ou travessões.

Ex. Terra Vermelha, que é um romance de Domingos Pellegrini, conta a história da colonização de Londrina.

Andrade, que é um amigo meu, deu-me a notícia.

A moça, cuja mãe é deputada, encantou a todos.

Nos versos de Vinícius de Morais: “Quem sabe a morte, que é angústia de quem vive/ Quem sabe a solidão, que é o fim de quem ama”.

*Pronome relativo é uma classe de pronomes que substituem um termo da oração anterior e estabelece relação entre duas orações.Os pronomes relativos são os seguintes:
Variáveis O qual, a qual
Os quais, as quais
Cujo, cuja
Cujos, cujas
Quanto, quanta
Quantos, quantas
Invariáveis Que

Quem
Onde

http://www.soportugues.com.br/secoes/morf/morf51.php

http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/gramatica/aposto-vocativo.php

http://www1.folha.uol.com.br/folha/educacao/ult305u9852.shtml

Anúncios
9 Comentários
  1. Gregori permalink

    Okay… Agora só ficou uma dúvida…
    Qual a diferença entre uma Oração Subordinada Apositiva e uma Oração Subordinada Adjetiva Explicativa?!?!?
    Se uma oração funciona como aposto ela não deveria ser uma OS apositiva?

    • Olá Gregori,
      Entendo sua dúvida. Como já disse, a diferença é tão sutil que pode passar despercebida. As duas têm caráter explicativo, fazendo muitos acreditarem tratar-se de sinônimos, mas não são!
      A “Oração Subordinada Adjetiva Explicativa” SEMPRE é iniciada com um pronome relativo (vide tabela acima). Vou exemplificar para você:
      Ex.: Andrade, um amigo meu, deu-me a notícia. // Andrade, que é um amigo meu, deu-me a notícia.
      A primeira é Oração Apositiva (sem pronome relativo), a segunda Oração Subordinada Adjetiva Explicativa. Observe que a única diferença foi a inserção do pronome “que”.
      Espero ter colaborado para solução de sua dúvida. Se ainda não foi suficiente, entre em contato novamente.
      Bons estudos!

      • leonardo permalink

        negativo. em “Andrade, um amigo meu, deu-me a notícia”, não há duas orações, como seria uma oração subordinada ? há apenas um termo anteposto na oração. trata-se de uma oração absoluta, só há um verbo. Oração subordinada substantiva apositiva: “Peço-lhe encarecidamente um favor: não perturbe meu sossego”. quando a segunda oração explica um termo contigo na primeira oração, logo, é necessário que haja pelo menos duas orações.

  2. Concurseiro permalink

    Olá, Ana.

    Utilizei a regra que você apresentou para realizar a questão abaixo, mas fiquei em dúvida quanto ao gabarito:

    08) AMAN – “Para meu desapontamento, nasceu um ser raquítico e feio, pesando um quilo.”
    As vírgulas, na frase acima transcrita, foram utilizadas, respectivamente para:

    a) isolar o aposto e separar uma oração subordinada da principal;
    b) marcar o início de uma oração intercalada e separar orações coordenadas assindéticas;
    c) marcar o deslocamento do adjunto adverbial e separar uma oração adjetiva explicativa da
    principal;
    d) isolar o objeto pleonástico e indicar a elipse da conjunção;
    e) separar uma oração subordinada anteposta à principal e separar uma oração subordinada posposta
    à principal.

    Gabarito: C

  3. Concurseiro permalink

    Olá, Ana.

    Utilizei a regra que você apresentou para realizar a questão abaixo. Fiquei em dúvida quanto ao gabarito.

    08) AMAN – “Para meu desapontamento, nasceu um ser raquítico e feio, pesando um quilo.”
    As vírgulas, na frase acima transcrita, foram utilizadas, respectivamente para:

    a) isolar o aposto e separar uma oração subordinada da principal;
    b) marcar o início de uma oração intercalada e separar orações coordenadas assindéticas;
    c) marcar o deslocamento do adjunto adverbial e separar uma oração adjetiva explicativa da
    principal;
    d) isolar o objeto pleonástico e indicar a elipse da conjunção;
    e) separar uma oração subordinada anteposta à principal e separar uma oração subordinada posposta
    à principal.

    Gabarito: C

  4. Geraldo Dalmônico Junior permalink

    Concurseiro,

    Se você ainda está vivo (pq faz muito tempo rsrs), aqui vai a resposta:

    Nem sempre ela vai ser introduzida por um pronome relativo, pode ser introduzida por preposição e pode apresentar verbo numa das formas nominais. exemplo:

    Via-se um cartaz (comunicando a falência).
    Nosso argumento foi o primeiro (a cair).

    as orações em destaque são adjetivas explicativas.

    Essa questão que você colocou, foi bem na veia.

    Abraço.

  5. Geraldo Dalmônico Junior permalink

    Só acrescentando, essas regras exclusivamente baseadas na literalidade das palavras não funciona sempre no português. Quer diferenciar essas orações, procura numa boa gramática a diferença entre aposto x adjunto adnominal x complemento nominal. Só vai perceber que a diferença reside na relação do termo, oração com seu núcleo gramatical. De forma meramente ilustrativa e simplista, podemos dizer que que o adjunto ele não é essencial, ou ele constitui uma realidade diferente do termo a que ele se refere. Exemplo: “Casa de Pedro” (pedro e casa são realidades distintas) portanto expande a idéia de casa, mas não integra sua realidade em si, o que não acontece em “ilha de Marajó” perceba que marajó e ilha são a mesma realidade, portanto é aposição com “de”. Começa por aí o entendimento e diferenciação entre uma oração adjetiva explicativa (tem função de adjunto) e a substantiva apositiva. Macetes ajudam, mas não devem ser utilizados com exclusividade.

    Abraço!

  6. Gostei da explicação, Obg

  7. LUVISNAI LUCAS ALVES PIRES permalink

    MUUUUUUUITO BOM !! OBRIGADO!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: